Últimas Postagens


Guitto GGP-02 - Uma das melhores opções de efeitos desplugado, tem reverb, chorus e delay, além disso controle de graves e agudos, com chave liga/desliga/volume.
GUITTO GGP-02 - transforma seu violão em um transacústico! Um alto-falante conectado ao fundo do instrumento cria efeitos de reverberação, atraso e coro sem estar conectado a um amplificador externo. O processador de sinal permite ajustar o reverb, delay, chorus, altas e baixas frequências (Reverb, Delay, Chorus, Treble e Bass). A bateria de lítio fornece operação contínua por 12 horas. Adapta-se a violões clássicos e acústicos já que o sinal partirá do captador transdutor sob o rastilho, portanto funciona tanto para cordas de nylon quanto para cordas de aço.
Guitto GGP-02
Guitto GGP-02 (Joyo)- Uma das melhores opções de efeitos desplugado, tem reverb, chorus, delay.
Verifique o preço atual, mais frete, mais taxas, não esqueça de nada.


Controles de ajustes de acordo com as características de sua guitarra.
GGP-02 Captador de vibração possui 4 posições no DIP Switch.
Deslize para cima um por vez, até encontrar seu tom favorito de acordo com as características da guitarra.
nota importante: cada vez você só pode alternar para cima uma posição.

Com o aparelho desligado, mova apenas uma chave para cima, ligue e escute o novo timbre de sua guitarra. Desligue o aperelho, retorne a chave para baixo e experimente deslizar outra chave para cima, ligue e perceba o novo timbre, prossiga até encontrar a configuração que mais lhe agradar.

[ads-post]
Será interessante obter informações sobre a porta USB, nada consta no site, nem no manual do produto.

Enviei um e-mail para o pós vendas da empresa e obtive uma resposta, então a porta usb não possui utilidade para o usuário.
Na mesma mensagem a informação de que o GGP-04 deverá no futuro estar à venda no site banggood.
Para mim não faz sentido a empresa colocar no circuíto uma porta usb sem função, seria um gasto inútil, ainda vou descobrir e conto com a sua ajuda nessa missão!
Não deixe de mencionar seu parecer nos comentários.

Sobre a bateria 18650 no Guitto GGP-02 da Joyo.

Eu uso um carregador normal para "smartphone" da marca Siemens com saída 5 volts e 620mA, a carga é feita em torno de duas horas.
Quando carregando o mostrador do controlador fica com o led vermelho ligado, como mostra a imagem abaixo.

Depois de completa a carga o controlador irá ligar o led verde, como mostra a imagem abaixo.

Minha opinião é que se mantenha duas baterias carregadas, pois notei que o os timbres se alteram, então conforme a bateria vai descarregando se nota isso muito claramente e o melhor no caso de estar em público é trocar a bateria nesse momento.
Se continuar usando o led do aparelho Guitto GGP-02 irá começar a piscar, indicando que a carga está fraca.
Cloncluo que com boa qualidade de som a carga de uma bateria nova 18650, com o violão plugado e no volume máximo, dura 3 horas.
Talvez ocorra uma variação nesse contexto, devido as diferentes configurações de equipamentos. Cabe a cada usuário fazer seus próprios testes.

Ei amigos!
Eu gostaria de enviar a você um novo pacote de presente de usuário Banggood. Embora tenha um baixo custo e alta qualidade, acredito que você também pode fazer compras aqui e ganhar mais um desconto especial.
Vamos!
Junte-se a nós para receber seu desconto sobre GGP-02!
Comprar Guitto GGP-02


OTAN-UCRANIA-NAZISMO essas são as bandeiras A3OB!
Esse artigo trás um pouco de luz para toda essa escuridão.

Ao usar a Ucrânia para combater a Rússia, os EUA provocaram a guerra de Putin Depois de apoiar um golpe de extrema-direita em 2014, os EUA alimentaram uma guerra por procuração no leste da Ucrânia que deixou 14.000 mortos. A invasão da Rússia é uma resposta ilegal e catastrófica.
Aaron Mate 5 de março

"Os Estados Unidos ajudam a Ucrânia e seu povo", declarou Adam Schiff em janeiro de 2020 , "para que possamos lutar contra a Rússia lá, e não temos que lutar contra a Rússia aqui".

Schiff fez essa declaração durante a abertura do primeiro julgamento de impeachment de Donald Trump, onde a tentativa do Partido Democrata de garantir a venda de armas dos EUA para a Ucrânia foi apresentada, e amplamente aceita, como uma valente defesa da democracia e da segurança nacional dos EUA .

Dois anos depois, o uso da Ucrânia pelos EUA para "combater a Rússia por lá" atingiu seu fim lógico: ilegal, assassina e catastroficamente, a Rússia invadiu a Ucrânia para encerrar a luta.

A invasão russa da Ucrânia é uma violação da Carta da ONU. Sem autorização da ONU, os estados podem usar a força armada apenas em casos de autodefesa ou para evitar um ataque iminente. Embora os EUA tenham usado a Ucrânia como um substituto em sua luta contra os rebeldes ucranianos apoiados pela Rússia no Donbas, esse conflito ainda está dentro das fronteiras soberanas da Ucrânia. Mesmo que se possa argumentar que a Rússia tem o direito de defender russos étnicos sitiados, esse argumento é prejudicado pela decisão da Rússia de atacar muito mais profundamente o território ucraniano. Se defender o Donbas era o objetivo da Rússia, então poderia ter pressionado mais por uma força internacional de manutenção da paz , ou qualquer número de opções diplomáticas não militares.

Embora a invasão da Rússia não possa ser desculpada, também não pode ser compreendida e resolvida sem reconhecer que a guerra na Ucrânia não começou no mês passado.

Putin realizou uma grande escalada de um conflito que dura oito anos, ao custo de mais de 14.000 vidas. Tudo começou com um golpe de 2014, apoiado pelos EUA e liderado pela extrema-direita, que derrubou o governo democraticamente eleito da Ucrânia em Kiev. Em seu lugar veio um regime escolhido não pelo povo ucraniano, mas por Washington.

O governo golpista encorajou ataques à população de língua russa da Ucrânia, que pegou em armas para se defender com o apoio de Moscou. Em vez de pressionar seu cliente em Kiev a implementar um acordo negociado sob os Acordos de Minsk de 2015, os EUA despejaram armas e conselheiros militares para ajudar as forças armadas fascistas da Ucrânia na guerra por procuração que ajudaram a iniciar. Embora agora aclame o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky como um herói nacional, os EUA se aliaram aos nacionalistas ucranianos de extrema-direita sobre a plataforma de paz na qual Zelensky foi eleito em 2019.

A política dos EUA de usar a Ucrânia como bucha de canhão acompanhou uma tentativa de incorporá-la à OTAN. Para agravar os perigos de uma aliança militar hostil nas fronteiras da Rússia, os EUA também desmantelaram metodicamente os tratados de controle de armas da era da Guerra Fria que limitavam os arsenais das duas maiores potências nucleares do mundo.

Desde 2007, o presidente russo, Vladimir Putin, advertiu repetidamente que as políticas dos EUA na Ucrânia e em outros ex-estados soviéticos estavam ultrapassando os limites russos e forçariam uma reação russa.

Após anos de escalada impulsionada pelos EUA, as advertências de Putin se concretizaram na forma de uma invasão ilegal que colocou o mundo em um de seus momentos mais perigosos desde a Segunda Guerra Mundial.

"A Ucrânia é o maior prêmio"

Nos Estados Unidos, a invasão russa é amplamente retratada como uma campanha de Putin para colonizar a Ucrânia e subverter seu esforço para ingressar na União Europeia. Se esse é de fato o objetivo de Putin agora, ele o está fazendo apenas depois de um esforço de anos, liderado pelos EUA, para forçar o país profundamente dividido a entrar na órbita ocidental. Pelas suas próprias contas, os EUA gastaram US$ 5 bilhões nessa cruzada desde 1991, complementados com dezenas de milhões a mais da União Européia.

A agenda dos EUA ficou clara em setembro de 2013, quando Carl Gershman, chefe do National Endowment for Democracy, vinculado à CIA, declarou que "a Ucrânia é o maior prêmio". Se a Ucrânia pudesse ser puxada para a ordem liderada pelos EUA, explicou Gershman, "Putin pode se encontrar no lado perdedor não apenas no exterior, mas dentro da própria Rússia". Em suma, aos olhos de Washington, a mudança de regime em Kiev também poderia repercutir em Moscou.

A oportunidade de reivindicar o prêmio chegou dois meses depois, com a eclosão dos protestos de Maidan na Ucrânia. O Maidan é comumente descrito nos EUA como uma "revolução democrática". Esse é um termo justo para suas semanas iniciais, quando dezenas de milhares de ucranianos se reuniram na praça Maidan, em Kiev, para protestar contra a corrupção desenfreada do governo e para apoiar a integração europeia. Mas esses protestos logo foram cooptados pelas forças de extrema direita da Ucrânia, que transformaram um movimento popular em uma campanha violenta por mudança de regime. Maidan culminou no que George Friedman, chefe da empresa de inteligência americana Stratfor, teria descrito como "o golpe mais flagrante da história".

A faísca para os protestos de Maidan foi uma decisão do presidente Viktor Yanukovych de desistir de um acordo comercial oferecido pela União Europeia. A narrativa convencional é que Yanukovych foi intimidado por seu principal patrono em Moscou. Na realidade, Yanukovych esperava desenvolver laços com a Europa e "persuadiu e intimidou qualquer um que pressionasse a Ucrânia a ter laços mais estreitos com a Rússia", informou a Reuters na época . Mas o presidente ucraniano se assustou ao ler as letras miúdas do acordo da UE. A Ucrânia não só teria que reduzir seus profundos laços culturais e econômicos com a Rússia, mas aceitar medidas de austeridade duras como " aumentar a idade de aposentadoria e congelar pensões e salários." Longe de melhorar a vida dos ucranianos médios, essas demandas apenas teriam garantido a privação e a morte política de Yanukovych.

A Rússia aproveitou o nervosismo de Yanukovych oferecendo um pacote mais generoso de US$ 15 bilhões e ameaçando reter pagamentos se os termos da UE fossem aceitos. Ao contrário das narrativas ocidentais subsequentes, a Rússia não exigiu "um compromisso de aderir à união aduaneira [liderada pelos russos] ou qualquer outro quid pro quo evidente", segundo o New York Times .

Ao contrário de seus pares ocidentais, a Rússia também não exigiu que a Ucrânia abandonasse suas ambições europeias. Yanukovich, informou o Times em dezembro de 2013 , "insistiu que a Ucrânia acabaria por se mudar para a Europa e até considerar assinar os acordos em uma data posterior". Mas havia um obstáculo: "um alto funcionário da União Européia disse que essas discussões foram interrompidas".

A essa altura, em vez de ajudar a intermediar um acordo, os EUA haviam apoiado figuras da oposição de extrema direita que haviam assumido o comando do Maidan.

Enquanto grupos de extrema-direita ocupavam prédios governamentais em toda a Ucrânia, os bipartidários Cold Warriors de Washington invadiram para reivindicar o prêmio. Os senadores John McCain e Chris Murphy visitaram o acampamento central de protesto em Kiev e ficaram ao lado de Oleh Tyahnybok, líder do partido de extrema-direita Svoboda. Tyahnybok certa vez instou seus partidários a lutar contra a "máfia moscovita-judaica que governa a Ucrânia".

"A Ucrânia tornará a Europa melhor e a Europa tornará a Ucrânia melhor", prometeu McCain à multidão. Dando o jogo, Murphy disse à CNN que a missão dos senadores era "causar uma transição pacífica aqui".

Os senadores se juntaram em Kiev à alta autoridade do Departamento de Estado Victoria Nuland, que agora ocupa uma posição semelhante sob Biden. Em 4 de fevereiro, um telefonema interceptado, supostamente gravado e divulgado pela inteligência russa ou ucraniana, expôs o plano de Nuland para realizar a "transição". Falando com Geoffrey Pyatt, o embaixador dos EUA na Ucrânia, Nuland expôs como os EUA apoiariam um novo governo ucraniano, liderado por líderes Maidan e escolhido a dedo por Washington. O Departamento de Estado respondeu ao vazamento desconsiderando-o como " artesanato russo ".

Embora Nuland tivesse saltitado, junto com McCain e Murphy, com Tyahnybok na praça Maidan, o líder fascista foi considerado inadequado para o cargo. O russófobo anti-semita, preocupava Nuland, seria um "problema", e melhor "do lado de fora".

Também foi discutido o ex-boxeador e figura da oposição Vitaly Klitschko, mas ele foi rapidamente descartado. "Não acho que Klitsch deva entrar no governo", disse Nuland. "Não acho que seja necessário. Não acho que seja uma boa ideia." Um dos motivos foi a proximidade de Klitschko com a União Européia. Apesar das palavras calorosas de McCain para a UE diante da multidão de Maidan, os europeus irritaram Washington ao apoiar uma proposta de compromisso que deixaria Yanukovych no poder. Como Nuland disse a Pyatt: "Foda-se a UE".
[ads-post]
Os dois funcionários americanos decidiram pelo tecnocrata Arseniy Yatsenyuk. "Yats é o cara", decretou Nuland. A única questão pendente foi garantir a bênção do então vice-presidente, Joe Biden, e seu então conselheiro sênior, Jake Sullivan, "para um garoto atta e para obter os detalhes [detalhes]".

Os detalhes foram realizados dias depois. Em 20 de fevereiro, franco-atiradores mataram dezenas de manifestantes na praça Maidan. O massacre foi atribuído às forças de Yanukovych, desencadeando uma nova rodada de violência e ameaças à vida de Yanukovych. Em outro telefonema interceptado que surgiu semanas depois, o ministro das Relações Exteriores da Estônia, Urmas Paet, disse à secretária de Relações Exteriores da UE, Catherine Ashton , que suspeitava de culpa das forças pró-Maidan . Em Kiev, relatou Paet, "há agora um entendimento cada vez mais forte de que por trás dos atiradores não era Yanukovych, mas alguém da nova coalizão [de oposição]".

Ivan Katchanovski, da Universidade de Ottawa, que conduziu uma pesquisa exaustiva sobre o massacre , concorda com a suspeita inicial de Paet. O ataque, ele conclui, foi "perpetrado principalmente por membros da oposição Maidan, especificamente seus elementos de extrema-direita".

Em 21 de fevereiro, um acordo entre Yanukovich e a oposição, mediado pela Europa, pedia a formação de um novo governo de coalizão e eleições antecipadas. As forças de segurança de Yanukovich retiraram-se imediatamente da área de Maidan. Mas a base de extrema-direita do acampamento não tinha interesse em fazer concessões. "Não queremos ver Yanukovych no poder", declarou o líder do esquadrão Maidan, Vladimir Parasyuk. "... E a menos que esta manhã você venha com uma declaração exigindo que ele renuncie, então vamos pegar em armas e ir embora, eu juro." Yanukovich, não mais protegido por suas forças armadas e sob forte ameaça, recebeu a mensagem e fugiu para a Rússia.

Um novo governo foi rapidamente formado, apesar da falta de maioria parlamentar suficiente. Essa violação da lei ucraniana teve pouca consequência: com Yatsenyuk, ungido por Nuland, nomeado o novo primeiro-ministro da Ucrânia, os Estados Unidos conseguiram seu "cara".

A centralidade de elementos fascistas no golpe Maidan foi recentemente anunciada por uma de suas figuras-chave. Em um evento público em Kiev no mês passado, Yevhen Karas, da gangue neonazista C14, proclamou que "Maidan foi uma vitória para as forças nacionalistas". Descartando o que ele chamou de "embaixadas LGBT e estrangeiras" que "dizem 'não havia muitos nazistas em Maidan'", Karas ofereceu uma correção: "Se não fosse por esses oito por cento [de neonazistas] a eficácia [do golpe de Maidan ] teria caído 90 por cento."

Sem seus aliados de extrema-direita, acrescentou Karas, "a coisa toda teria se transformado em uma parada gay". Ele não mencionou o apoio crítico dos burocratas de Washington, que merecem crédito igual por evitar o desfile e garantir um golpe.

Superando "o principal obstáculo"

Ao apoiar um golpe de extrema-direita em Kiev, os EUA superaram o inconveniente obstáculo da opinião popular ucraniana.

Resumindo pesquisas contemporâneas dias antes do golpe de fevereiro de 2014, os cientistas políticos Keith Darden e Lucan Way observaram no Washington Post que "nenhuma mostra uma maioria significativa da população apoiando o movimento de protesto e várias mostram uma maioria contra". A pesquisa mais precisa "mostra a população quase perfeitamente dividida em seu apoio ao protesto: 48% a favor, 46% contra". Apesar de ser alvo dos protestos de Maidan e profundamente corrupto, Yanukovych "ainda é aparentemente a figura política mais popular do país", acrescentaram.

A divisão da população ucraniana sobre os protestos de Maidan também se estendeu à questão que ajudou a despertá-la: a rejeição de Yanukovych de um acordo comercial com a União Europeia. De acordo com Darden e Way, "há poucas evidências de que uma clara maioria de ucranianos apóie a integração na União Europeia", com a maioria das pesquisas mostrando "cerca de 40-45% de apoio à integração europeia em comparação com cerca de 30 a 40% de apoio à União Aduaneira [liderada pela Rússia] – uma pluralidade para a Europa, mas dificilmente um mandato claro."

O mesmo pode ser dito para a adesão à OTAN. "O principal obstáculo" para a ascensão da Ucrânia à aliança, escreveu F. Stephen Larrabee, ex-especialista soviético do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, em 2011 , "não é a oposição russa... mas o baixo apoio público à adesão à própria Ucrânia". O apoio ucraniano à adesão à Otan "é muito menor na Ucrânia em comparação com outros estados da Europa Oriental", acrescentou, com apenas 22% a 25% no geral.

Uma pesquisa Gallup divulgada em março de 2014 descobriu que "mais ucranianos viam a OTAN como uma ameaça do que como uma proteção". Embora essa tendência tenha se revertido desde então, o apoio ucraniano à Otan aumentou para pouco mais de 50% nas pesquisas que excluem os 3,8 milhões de moradores de Donetsk e Luhansk, controlados pelos rebeldes.

As vítimas indignas da Ucrânia Embora saudado pelos EUA como uma expressão das aspirações democráticas da Ucrânia, o governo ucraniano pós-golpe foi dominado pelas forças de direita que o levaram ao poder. Pelo menos cinco cargos-chave no gabinete foram para membros do Svoboda de extrema-direita e outro partido de direita, o Right Sector, incluindo os ministérios de segurança nacional, defesa e jurídico. Andriy Parubiy, o cofundador de extrema-direita do partido de origem do Svoboda, foi nomeado chefe do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia. Durante os protestos de Maidan, Parubiy serviu como "comandante" do acampamento Maidan e chefe de sua segurança.

No outono de 2014, o batalhão neonazista Azov foi formalmente incorporado à Guarda Nacional da Ucrânia, tornando a Ucrânia pós-Maidan "a única nação do mundo a ter uma formação neonazista em suas forças armadas", disse o jornalista ucraniano-americano Lev Golinkin. posteriormente observado .

Yatsenyuk, o tecnocrata escolhido por Nuland, presidiu o que a NPR chamou de "Primavera da Austeridade" da Ucrânia e o que o próprio primeiro-ministro descreveu como uma " missão kamikaze ", impondo os cortes de pensão e subsídios de aquecimento aos quais o deposto Yanukovych havia resistido.

Membros do batalhão Azov. Enquanto aplaca o " Regime de Austeridade do FMI", o governo golpista também se volta para a população de etnia russa da Ucrânia, uma importante base de apoio de Yanukovych. Uma das primeiras votações do parlamento pós-golpe foi rescindir uma lei, há muito contestada pela extrema-direita, concedendo às regiões a autoridade de declarar uma segunda língua oficial.

O sentimento anti-russo do governo golpista culminou em um massacre horrível na cidade de Odessa. Em 2 de maio, uma multidão de direita atacou um local anti-Maidan, forçando os manifestantes a entrarem em um prédio sindical próximo. Presos lá dentro, os manifestantes anti-Maidan foram queimados vivos. Aqueles que tentavam escapar das chamas foram brutalmente agredidos. O número oficial do estado é de 48 mortos, mas o número real pode ser muito maior. Nenhuma investigação credível jamais foi realizada. Isso pode estar relacionado à presença de Parubiy, que viajou para Odessa para enfrentar o campo anti-Maidan, com centenas de membros do Setor Direita a reboque.

O massacre de Odessa ajudou a acelerar a crescente insurgência na região de Donbas, a região leste da Ucrânia dominada por russos étnicos. Recusando-se a viver sob um governo golpista instalado pelos EUA e liderado por nacionalistas de extrema direita, os rebeldes em Donetsk e Luhansk pegaram em armas na primavera de 2014 com o apoio limitado da Rússia .

O governo apoiado pelos EUA respondeu com guerra econômica e uma "Operação Antiterrorista" infundida pelos nazistas. O Yatsenyuk, apoiado pelos EUA, então bem versado na austeridade neoliberal amigável a Washington, decretou que todos os moradores de Donbas, controlados pelos rebeldes , perderiam seus pagamentos e pensões do setor público . Entre aqueles que lutam contra os rebeldes, o New York Times reconheceu discretamente em julho de 2015, estava o batalhão Azov "abertamente neonazista", bem como "uma variedade de milícias de direita e islâmicas" convocadas da Chechênia. De acordo com o Ministério do Interior da Ucrânia, Azov foi um dos primeiros batalhões a receber treinamento militar dos EUA para a guerra.

A guerra em Donbas, desde então, deixou mais de 14.000 mortos. De acordo com números da ONU , 81% das baixas civis desde 2018 ocorreram no lado pró-Rússia, controlado pelos rebeldes.

Esses ucranianos de língua russa, no entanto, são o que Noam Chomsky e Edward Herman descreveram em "Manufacturing Consent" como "vítimas indignas": civis estrangeiros mortos com o apoio dos EUA e, portanto, indignos de nossa simpatia ou mesmo atenção.

Não importa o quão profundamente enraizado no establishment político e na mídia dos Estados Unidos, nenhuma quantidade de branqueamento em torno do golpe de 2014 e suas consequências pode negar a realidade de que, para milhões de pessoas no Donbas, a guerra na Ucrânia não começou com a invasão de Putin no mês passado. . Isso inclui o uso de munições de fragmentação ilegais, supostamente pela Rússia hoje e pelos militares ucranianos em 2014 , para reações globais muito diferentes.

Em vez de acabar com a guerra por procuração que ajudou a iniciar na Ucrânia, os EUA apenas a alimentaram nos últimos oito anos com bilhões em armas, um esforço para incorporar a Ucrânia à OTAN, uma expansão de armas ofensivas dos EUA em torno da Rússia e uma rejeição da soluções diplomáticas, como abordaremos na segunda parte deste relatório. [full-post]


O artigo original está em: https://mate.substack.com/p/by-using-ukraine-to-fight-russia?s=r


É difícil para mim entender que esse secretário de estado americano se apresente com o símbolo -n*a-z*i- ao seu lado. Mas isso facilita entender que estejam colocando tanto dinheiro na Ucrânia, enquanto seu povo tem a maior população carcerária, um grande número e viciados, moradores de rua e vários outros problemas, até mesmo o das pontes que estão ruindo e a enorme dívida que beira os 30 trilhões de dólares.

Teste imagem Blogger
Teste de postagem de imagem em 21 de agosto 2021, Blogger.


Ainda com alguns erros no código do blog/site, mas com toda a segurança possível.

Muito trabalho por aqui, para que tudo funcione bem. Novas funcionalidades sendo implementadas, encerrando 2020 com uma ótima expectativa para 2021, é preciso fazer acontecer!

O objetivo é atualizar tudo o que for possível. Em cada publicação deverá constar a data da atualização em 2021.

Alguns problemas do Blogger estão sendo contornados no momento, esperamos uma solução definitiva em breve, então farei o meu melhor, dentro das condições, buscando sempre subir mais na escala.


   Este é o local 

Coloque o seu local no mapa!



   Obrigado pela visita!


Exibir mapa ampliado

   Novidades aqui são inseridas desta forma; com cores diferentes e data para que o internauta tenha conhecimento de quanto atualizado está o material do site.
[success title="Atualizando!" icon="check-circle"] Estamos tendo sucesso com o novo script construtor.
Toda atualização constará desta forma: revisado em 12 de julho de 2021.
Obtenha seu template por R$50,00 em português do Brasil, com painel fácil de entender e controlar suas inúmeras funções. [/success]
Veja o template funcionando Blogando com VBT. Imagem ilustrativa do painel de controle administravo de widgets Blogger e funções de um template.

O Blogger muda tudo muito rápido e isso é bom, mas muitos tutoriais deverão ser reeditados já que ficam obsoletos. Qualquer dúvida entre em contacto e terei o maior prazer em ajudar!
   É uma nova web e estamos usando os recursos possibilitando melhores condições para o usuário!

Editado 04-10-2020

Central de Ajuda
ipconfig/flushdns comando cmd Windows limpar DNS

Para ver os videos visite o canal Verbratec no YouTube por favor! Obrigado por sua visita!


[info title="Informação política Google de armazenamento." icon="info-circle"] Agende para não deixar seus serviços inativos. O Glogle só precisa ver sua atuação em: https://drive.google.com/drive/ até 20/jun/2021. Movimente seu Gmail e Google Photos. Não exceda o espaço de armazenamento. [/info]

https://alamcorretor.blogspot.com/



Eu encontrei um trabalho 'show', muito bonito, uma ideia incrível no meu entender. Não resisti e fui para a reprodução.
Quem quer dar 'trabalho' ao homem dos códigos faz esse tipo de coisa.
Quem quer pegar a imagem, simplesmente recorta a tela. O download da imagem é que é o segredo da coisa, kkkk.
No fim das contas só dá trabalho mesmo, para o homem que codifica.
Mas que ficou bonito o trabalho, ah ficou!
Se discorda ou concorda diz ali nos comentários. Imagem meramente ilustrativa para melhor funcionamento do programa.



Bookmarklet extrator js

Para mim é um trecho de código que inicia com o protocolo javascript: mas isso não é um bom conceito, kkkk!
É gratuíto, uma grande vantagem.
Conhecido também por Favlets adicionam funções ao navegador.
Gostei de poder extrair o javascript de uma página de forma mais fácil.
Tudo o que precisa fazer é arrastar o link até a sua barra de favoritos.
Em qualquer blog/site que você estiver visitando, click no Bookmarklet e veja tudo que existe de javascript, abrirá em nova aba pra facitar as coisas.
Tudo muito simples e fácil para o bom uso.




Também deve ser usado em modelos Blogger, uma vez que do includable escrito uma única vez, se pode e deve usar include em todos os artigos, como nesse exemplo de link para compartilhar no Facebook. Uma facilidade incrível!



Aproveite e compartilhe para que seus amigos possam também fazer um bom uso da internet.
Um abraço e até a próxima.

Criar um modelo é algo admirável, pois é preciso ir muito além do gosto do cliente. Tem que atender os navegadores mais usados, os diferentes tipos de tela e tantos outros detalhes. Hoje mostro aqui um pedacinho do empenho de Justin Avery, nesse trabalho. Uma criação incrível, de uma ferramenta que é muito útil para qualquer pessoa que trabalhe com sites, seja webmaster, webdesigner, pra trabalhar o front-end precisa disso:

O experimento vai muito além da primeira imagem, se pode pegar e arrastar os dispositivos simuladores e ainda navegar em cada um deles, descobrindo o que precisa ser ajustado, em cada tipo de tela.

Verbratec na tela!


Digite o url do seu blog/site Blogger no campo acima, use https e barra no final e click em renderize, veja se está tudo certo.
Ainda tenho muito para aprender.
[success title="Configuração básica." icon="check-circle"] Funcionalidades podem ser adicionadas e removidas.
Obrigado por sua visita! atualizado em 18/06/2021 [/success] Se você pode usar em seu site? Criar base de um 'plug-in'? Pergunte ao Justin.
Justin responde sobre o uso do código de Eu sou responsivo.
Um abraço e até a próxima!
[full-post]

Serviços para blog/sites Blogger.


Tudo pode começar pela instalação de um modelo(template) o que é para muitos uma grande dificuldade, devido aos detalhes que envolvem a missão.
Noutros casos, basta copiar e colar, salvou e foi feliz!
Em muitos casos o usuário apenas usa o padrão do Blogger, mas quem quer ter algo diferente, precisa ou estudar muito e explorar cada detalhe da plataforma Blogger, ou contratar o serviço.
Para os templates mais sofisticados existem alguns detalhes que são necessários e precisam estar no modo de compatibilidade para que funcionem. Aproveitando essa leitura, se pode resolver eventual "problema" no caminho das pedras.
Para um template como este que estou usando no momento, as configurações Blogger precisam estar assim:
0 - Realize antes num "blog de testes", sempre tenha uma cópia salva de seus trabalhos.
1 - A maioria das funções dependem de dados existentes, faça ao menos 15 artigos.
2 - Adicione ao menos 15 frases e uma imagem em cada artigo, aplicando também marcadores.
3 - No feed do site em 'Permitir feed do blog' marque versão completa.
4 - Tem detalhes que precisam ser pensados antes da compra do template, não fique na imaginação, tenha certeza das possibilidades, antes da compra. Analogia é comprar um prédio de 2 andares e querer construir mais um andar no meio, isso é impossível, resta fazer sobre, lá no alto e se a estrutura permitir mais peso, do contrário tudo desmorona.
Da mesma forma pode ocorrer algo similar nos templates complexos, até por já possuirem todas as funções necessárias, pensadas no bom desempenho.
5 - Configurações - Permissões - Acesso ao leitor, Blogger precisa ser público para que as funções possam acessar os dados também via feed.
6 - São muitas funções disponíveis, não queira usar tudo simultâneamente e lembre-se de que muitas delas podem ser ativas e desativadas, antes do desespero confira se está tudo ativado e configurado corretamente.



Agora vou listar algumas funções, que fazem parte da maioria dos templates sofisticados e atualizados. Não esquece de consultar e guardar a documentação para futuras consultas.
01 - Responsivo, significa que a função organiza os widgets, adequando-os ao tamanho da tela em que o blog/site será renderizado, smartphone, notbook, televisão etc.
02 - Layout é a função que lhe permite escolher entre coluna na esquerda, coluna na direita e sem coluna, algo muito útil em alguns artigos, geralmente é ativada individualmente em cada artigo.
Configurações de layout do template no Blogger.
03 - Menu, precisa atender o conjunto da obra, sendo fácil de operar, fácil de inserir dados e que aceite links de todos os tipos, preferencialmente com campo de pesquisa.
04 - Pesquisa ajax, é fundamental, exceto para quem vai ter poucas páginas.
05 - Redes socias, função que facilite o compartilhamento do seu material, acesso ao canal YouTube, Instagram e etc.
06 - Sistemas de comentários, função que facilita ativar comentários do Facebook, Disqus e que mantem Blogger, atendendo todos os gostos.
07 - Função parar menu no topo, caminha junto a de emparelhamento coluna lateral e conteúdo principal, geralmente no mesmo plugin(Theia Sticky Sidebar) um dos mais usados.
08 - Função de paginador na homepage.
09 - Função "news ticker" é algo interessante ter algum movimento.
10 - Widget de todos os tipos, inclusive com slider.
11 - Que exagero, na verdade só precisa escrever, não quebre a cabeça com tudo isso!


Sempre usando a lógica, se um template custa 50 dólares, como pode-se fazer download gratuitamente?
A dica principal é use a lógica, ninguém trabalha de graça, logo algo está embarcado nesse template 'gratuito', ou pode ser uma versão "free" a qual não possui todas as funções. Muito se fala de vírus, mas não é bem isso, já vi várias coisas diferentes, desde um simples link que por sinal fica oculto aos olhos do usuário, a preocupação dos meninos é não mostrar no rodapé, mas para a pesquisa o que importa é estar no código do blog/site, mesmo na posição fora da tela, gera autoridade, isso é algo bom para o desenvolvedor do template, pois assim está aumentando a relevância de seu site nos buscadores.
Outro detalhe é o redirecionamento de um visitante por dia, para uma propaganda, anúncio vinculado à conta do desenvolvedor do template, demora até o usuário desautorizado, perceber que está pagando o uso do template.
Por último a forma toda certa, versão "free" para baixar e usar, versão "preview" permite conhecer por fora o template, sem acessar o código principal que é a versão "premium", essa enviada por e-mail após o pagamento.

Exemplo de código para versões diferentes de um mesmo template; free, preview e premium.

Não faço ideia de quem foi o primeiro no uso dessa ideia, mas creio que seja uma ótima ideia para o negócio dos templates, principalmente para os desenvolvedores, mas também uma boa ideia para os usuários.
Eu uso um mesmo template por muitos anos, mas entendo que muitas pessoas gostam de experimentos e trocam o template seguidamente, como algo prazeroso.
É interessante que grande parte dos usuários se desviam do foco principal, tomados pela beleza das combinações de cores e imagens, esquecendo das funcionalidades. Há certamentamente grandes trabalhos de muitos "designers" e soma-se o fato de o Jair ser péssimo na escolha de cores. Simplesmente não consigo fazer bonito e continuo focado na parte interna, códigos me fascinam.
Veja como exemplo algumas entradas de dados Blogger na imagem que segue.
Foto de códigos de entrada Blogger b class e  attr.

E suas respectivas saídas.
Foto de códigos de saída Blogger b class e  attr.
Note que é impossível para alguém de fora, saber se a div teve seu id e sua classe ou quaisquer outros parâmetros criados diretamente ou por outras funções. Por isso muitas vezes é impossível ajudar, sem ter acesso ao código fonte, o qual o Blogger concede apenas aos administradores do blog.

Tendo alguma dificuldade, ou dúvida, entre em contato, será um prazer lhe ser útil.
Não tendo dúvida, nem curiosidade, comente, só pra eu ficar sabendo que alguém leu por aqui.
Um abraço e o ensejo de uma boa navegação!

Jair de Jesus

Estudante de HTML, CSS, json, Blogger e tal.{picture#https://1.bp.blogspot.com/-nLQAtnyjw9Q/XgewzgENccI/AAAAAAAAFJw/hVY1XC8En2EEMSDsJWk3J4_UTMNDxGR8gCK4BGAYYCw/s35/jair.jpg}{facebook#https://facebook.com/verbratecajuda}{youtube#https://youtube.com/verbratec} {twitter#https://twitter.com/verbratecajuda}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *